28 de maio de 2021

Após liminares da Justiça, Comcam divulga carta aberta em defesa dos municípios e da população

Diante da gravidade do quadro da pandemia da Covid-19 que assola os municípios da região e em manifesto contra as decisões judiciais que liberaram funcionamento de estabelecimentos comerciais, contrariando lockdown adotado em conjunto entre os municípios (de quinta-feira a domingo), a Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam), divulgou uma carta aberta, nesta sexta-feira (28), em defesa dos municípios e da população. A entidade cita que a decisão de fechamento geral do comércio foi tomada em conjunto entre os municípios, seguindo recomendações de autoridades em saúde e dos Comitês Municipais de Crise do Coronavírus, devido o colapso da saúde regional, causado pelo alto número de internamento de pacientes infectados com coronavírus (Covid-19).
Para se ter ideia, há na área de abrangência da 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão 63 pessoas infectadas com Covid-19 na fila de espera por leitos. São 31 por UTI e 32 por enfermaria. Na Macrorregião Noroeste são 263 pessoas à espera de leitos: 119 por vagas de UTI e 144 por leitos de enfermaria.
“Os municípios fizeram tudo que podiam para conter o avanço do vírus e tomaram as últimas e polêmicas medidas no intuito de conter o aumento do contágio e a catástrofe que se avizinha. No entanto, alguns setores e algumas decisões judiciais desfiguraram as medidas tomadas e determinaram a abertura de vários setores que deveriam ficar fechados por apenas e tão somente 4 (quatro) dias. Desta forma, prefeitos e prefeitas estão de mãos atadas e esgotaram as possibilidades legais que dispunham no enfrentamento da pandemia”, diz o documento.
A entidade alerta ainda a população em geral que tenha a ‘exata medida da gravidade da situação e auxilie a administração pública tomando todos os cuidados para evitar o contágio, pois setores econômicos, infelizmente não perceberam ainda a gravidade da situação’.

Veja em anexo a íntegra da “Carta Aberta”





Um comentário:

  1. Os Prefeitos (as) não são culpados pela atual situação, muito menos o comércio...O que o comércio não aceita mais, é ser responsabilizado, sem comprovação nenhuma pela infecção dos seus clientes e funcionários, sendo que é um setor que ajuda a não contaminação, seguindo todos os protocolos exigidos pelos órgãos de saúde...Reconhecemos o momento crítico, mas não podemos admitir a quebra de um setor tão importante na geração de empregos e arrecadação de tributos....vamos nos cuidar, sem deixar de trabalhar e produzir.....

    ResponderExcluir