02 abril 2019

Policia cumpri mandados contra organização que fraudava carteiras de identidade na região

A Polícia Civil cumpriu simultaneamente na manhã desta terça-feira dia 02 cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão nas cidades de Rancho Alegre d'Oeste, Maringá e Sarandi. O alvo da operação é um grupo suspeito de emitir carteiras de identidade fraudulentas para criminosos e para a aplicação de golpes. 

Em Rancho Alegre d’Oeste, distante 87 quilômetros de Campo Mourão, um servidor público da prefeitura, identificado pelas iniciais F. A. J. dos S., 48, foi preso na ação. Esta é a segunda fase da operação, batizada de Vucetich. Na primeira fase, realizada em outubro do ano passado, a polícia apreendeu computadores, celulares e documentos e efetuou uma prisão em flagrante. 

Segundo as investigações da Polícia Civil, o grupo falsificou 160 carteiras de identidade. Parte dos documentos foi utilizada para a abertura de empresas fraudulentas e golpes para recebimento de seguro-desemprego e salário-maternidade. A polícia estima que a fraude causou um prejuízo de cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos. A investigação aponta que outras carteiras de identidade falsas foram vendidas para foragidos da Justiça. 

De acordo com a Polícia Civil, o servidor preso em Ranho Alegre d’Oeste trabalha em um posto de confecção de carteiras de identidade e usou a função para inserir dados falsos no sistema e produzir documentos fraudados.  O acusado estava com a prisão preventiva decretada por suposta participação na emissão fraudulenta de carteiras de identidade.

Estima-se que tenham sido emitidas mais de 150 cédulas identidades falsas para esquemas de criminosos a partir do posto de identificação de Rancho Alegre d’Oeste. Conforme a polícia, foi justamente esse grande volume de cédulas de identidade emitidas em uma cidade de pequeno porte que chamou a atenção, ocasionando na investigação. O servidor preso foi encaminhado à cadeia pública de Goioerê, onde permanece à disposição da justiça. 

Beneficiados De acordo com as investigações, um dos criminosos beneficiados pelo esquema é Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, que seria um dos maiores traficantes do país e o segundo na hierarquia da facção criminosa Comando Vermelho, organização criminosa comandada por Fernandinho Beira-Mar.  

Outro alvo da ação é um contador do município de Maringá, de 43 anos, que já conta com diversas passagens policiais por crimes de estelionato. Ele e outras três mulheres, de 25, 34 e 43 anos, juntos do servidor municipal de Racho Alegre D’Oeste, criavam empresas fraudulentas, registravam em nomes de laranjas e davam o golpe do seguro desemprego e salário maternidade. 

Na primeira fase da operação, ocorrida em outubro de 2018 foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência e no posto de identificação onde trabalhava o servidor público em Rancho Alegre D´Oeste, bem como, em um escritório de contabilidade em Maringá. Na ocasião foram apreendidos computadores, celulares e documentos.  

A operação foi batizada como “Vucetich”, em alusão ao argentino nascido na Croácia, Juan Vucetich, que desenvolveu e colocou pela primeira vez em prática um sistema eficaz de identificação de pessoas mediante suas impressões digitais. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário