21 setembro, 2022

Palestra Lei Maria da Penha foi realizada em Mamborê

Na última terça-feira dia 20 de setembro, foi realizada nas dependências do Centro Cultural na cidade de Mamborê, a Palestra Lei Maria da Penha e seus mecanismo de proteção, que tiveram como palestrantes policiais pertencentes ao 16º BPM de Guarapuava, Cb. De oliveira e Sd. Luana 

Na Palestra foram abordados o ciclo da violência , o contexto histórico que motivaram a criação da lei 13.340/2006 (Lei Maria da Penha), bem como os seus aperfeiçoamentos até a presente data.



As palestras fazem parte de uma operação nacional, onde todos os Estados disponibilizaram um efetivo para deslocarem a municípios mais distantes das capitais e levando informação e divulgando os serviços disponíveis da polícia militar e também da rede de enfrentando municipal para as vítimas de violência.



O evento aconteceu por meio de uma parceria entre a Polícia Militar de Mamborê, atravéz do Cabo Santos, Secretaria da Educação e Secretaria de Assistência Social por meio do Equipamento CRÁS


O evento contou com a presença do vice prefeito Sebastião Martinez; Promotora de Justiça da Comarca de Mamborê, Dr. Lucas Losch Abaid; Comandante do Destacamento da Polícia Militar de Mamborê, Cabo Edson Santos; Diretora de Assistente Social, Chrise Queiroz e demais membros da nossa comunidade.



A palestra faz parte de um serviço prestado pela Polícia Militar, em que equipes policiais militares especializadas atuam no enfrentamento à violência contra as mulheres.


Podem ser atendidas pela lei, todas as mulheres que sofreram qualquer tipo de violência doméstica e familiar prevista no art. 7º da Lei Maria da Penha:

a) violência física - ofensa à integridade ou saúde corporal;

b) violência psicológica - dano emocional, ameaça, humilhação, perseguição, chantagem, entre outros;

c) violência sexual - constrangimento para participar de relação sexual não desejada, entre outros;

d) violência patrimonial -  retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores, entre outros;

e) violência moral - qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.


A mulheres que necessitarem devem realizar o acionamento das equipes nos casos emergenciais pode se dar através do telefone de emergências 190, ou aplicativo 190 da Polícia Militar do Paraná. As visitas preventivas são agendadas após o registro de um boletim de ocorrências pela vítima. A mulher também pode procurar a Unidade Policial Militar mais próxima para receber as orientações necessárias.

























Nenhum comentário:

Postar um comentário