20 de abril de 2021

Presos são tranferidos e Cadeia de Mamborê se transforma em Presídio Feminino da região

Na tarde desta terça-feira dia 20 de abril de 2021, a Cadeia Pública da cidade de Mamborê, foi transformada em um Presídio Feminino. Os presos masculinos foram transferidos para a Cadeia e Penitência de Campo Mourão. A partir de hoje os presos do sexo masculino que forem preso nas cidades de  Mambore e Boa Esperança, após os feitos de Polícia Judiciária serão transferidos para a Cadeia Pública em Campo Mourão.

Já as presas feminas que cometerem delitos nas cidades de Campo Mourão, Peabiru serão, posterior aos feitos de Polícia Judiciária transferida para o Presídio Feminino de Mambore. Segundo informações já nesta terça-feira cerca de 12 presas do sexo feminino, foram transferidas da região pelo Departamento Penitenciário do Paraná - Depen, para ocuparem a carceragem da Delegacia de Mamborê. Também foi realizado a transferência de todos os presos e presas da Cadeia Pública de Peabiru para Campo Mourão.



O Departamento Penitenciário do Paraná - Depen,  realizou nesta terça-feira a transferência de cerca de 30 presos do sexo masculino que ocupavam a cadeia pública Mamborê. Segundo informações, detentos condenados ficarão no presídio do Depen de Campo Mourão, enquanto os presos provisoriamente, serão realocados na carceragem da 16ª Subdivisão Policial (SDP) de Campo Mourão até o julgamento.




O delegado de Polícia Civil de Mamborê, Dr Anderson Romão, informou que tem a intenção de criar oficinas de costura e artesanato, para as detentas do sexo feminino do presídio de Mamborê e com isso Dr. Romão conta com a participação de toda a sociedade Mamboreense, para que este projeto venha a ser concretizado.


A mudança faz parte de um projeto da Secretaria da Segurança Pública iniciado no final de 2020 e que prevê a desativação de 41 carceragens de delegacias e o fechamento definitivo em 15 municípios de todo o Estado. O objetivo é encaminhar os apenados à gestão plena do Depen.

De acordo com o secretário Romulo Marinho Soares, a integração das forças de segurança da região para mudanças deste cunho agrega proteção aos moradores locais. “Estas transferências são muito importantes para o desempenho das atividades dos policiais civis da região, uma vez que, liberados do cuidado dos presos, podem dedicar-se integralmente aos serviços de investigação e elucidação de crimes”, disse.

A ação contou com o emprego de grande aparato de segurança, agentes do Setor de Operações Especiais da Regional de Maringá (SOE), apoio de policiais civis da 16ª Subdivisão Policial de Campo Mourão e policiais militares.

Para o Coordenador Regional do Depen de Maringá e Cruzeiro do Oeste, Luciano Brito, as transferências de carceragens possuem um impacto positivo na ressocialização da população carcerária. “Estas medidas contribuem para uma melhor execução penal, tanto para os presos como para as presas. O Depen pretende elevar os programas de ressocialização para as mulheres presas na região de Campo Mourão com a implantação da unidade feminina na cidade de Mamborê, assim como elevar os níveis de segurança pública”, disse.

A medida foi possível com a abertura da nova unidade do Depen em Campo Mourão - a Cadeia Pública de Campo Mourão II, que foi inaugurada em dezembro de 2020, ampliando em 382 vagas o Sistema Penitenciário local. O investimento total na obra foi de R$ 12,3 milhões. Seguindo o plano da Secretaria da Segurança Pública, em janeiro de 2021, a desativação da Cadeia Pública de Iretama também foi concluída.


INVESTIGATIVO  O Delegado Chefe da 16ª SDP, Nilson Rodrigues da Silva, explica que os integrantes da sede da subdivisão policial de Campo Mourão não terão mais que se preocupar com o trabalho carcerário. “O esvaziamento da Cadeia Pública de Peabiru e a transferência das presas para a Cadeia Pública de Mamborê agrega no trabalho investigativo da Polícia Civil e oferece os devidos cuidados aos apenados, que agora ficarão nas estruturas do Depen”, afirma.

As Cadeias Públicas onde os presos ficarão a partir de agora são de gestão plena do Depen, incluindo bens móveis e imóveis, despesas e contratos de alimentação. A transferência também resulta, inclusive, na melhora da assistência aos presos e familiares.


Nenhum comentário:

Postar um comentário