13 de janeiro de 2021

Ratinho Júnior diz que assim que vacina da Covid-19 chegar, imunização começa em até 72 horas no Paraná

O governador Ratinho Júnior afirmou que a vacinação no Paraná começará em até 72 horas depois que as primeiras vacinas chegarem em todas as regiões do Estado. A afirmação foi feita durante visita ao Centro de Distribuição de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, nesta quarta-feira (13).

“A ideia é que chegando a vacina, nós possuímos toda uma refrigeração de equipamentos que foram comprados para receber e armazenar os imunizantes. Depois disto, iremos distribuir para todo o Paraná”, disse explicando que, em um primeiro momento, os aviões da Casa Militar poderão ser usados para levar os produtos às regiões.

“As três aeronaves estão preparadas para, se for necessário, distribuir estas vacinas, pelo menos, regionalmente. Depois, por meio de carros e caminhões, elas serão distribuídas nas microrregiões. Os profissionais de saúde estão preparados para vacinar imediatamente”, destacou.

A visita foi realizada ao lado do secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto. O objetivo foi verificar o estado dos chamados insumos secos: agulhas, seringas, luvas e ventais e algodão, entre outros itens, usados no momento da vacinação. Além do Cemepar, o Ginásio de Esportes do Tarumã servirá como local de apoio para o armazenamento destes materiais.

“Mesmo no momento em que há uma escassez para realizar a compra de seringas no Brasil, o Paraná é o único estado que tem pelo menos uma seringa para aplicar a vacina em cada habitante. É uma demonstração de organização. Tudo foi pensado e planejado para que o paranaense possa ser assistido de maneira rápida e perto da sua casa”, ressaltou o governador.

Plano nacional de imunização

Uma reunião dos governadores com o ministro da Saúde Eduardo Pazuello, em Brasília, está marcada para a próxima terça-feira (19). O objetivo é tratar da possível data de inicio desta imunização. No entanto, Pazuello tem a intenção de começar a vacinação neste mesmo dia. A estimativa é que o Paraná receba 100 mil dos 2 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca.

“O Paraná faz parte do plano nacional de imunização e representa 5% da população nacional. A distribuição, segundo o ministro, acontecerá de forma igualitária. Nós não temos um número fechado. A partir do momento que a Anvisa fizer a liberação e os laboratórios liberarem as vacinas, o Paraná começará, imediatamente, a imunizar a população”, reforçou Ratinho Júnior.

Pazuello planeja começar vacinação contra a covid no dia 19, em evento no Palácio do Planalto

A Secretaria de Saúde (Sesa) já revelou que o grupo prioritário é formado por cerca de 90 mil profissionais da linha de frente do combate à Covid-19, 10 mil índios acima de 18 anos mapeados em comunidades isoladas de 30 municípios do Estado e 10 mil idosos que vivem em asilos e casas de repouso. “Conforme forem chegando as vacinas, vamos imunizando mais pessoas. Depende da aprovação da Anvisa. Ocorrendo isto, o Paraná começa automaticamente a vacinar”, disse o governador.

O Ministério da Saúde estima que sejam necessários 12 meses após o fim da etapa inicial para imunizar a população em geral.

REDAÇÃO: Banda B

Nenhum comentário:

Postar um comentário