19 maio 2018

PM suspeito do desaparecimento de estudante é preso em Curitiba

O soldado da Polícia Militar Diogo Coelho Costa, ex-marido da estudante de Direito Andriele Gonçalves da Silva, de 22 anos, está preso na Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba.
A prisão foi efetuada por duas equipes da Polícia Militar (PM) na manhã deste sábado (19). A Justiça acatou ao pedido de prisão temporária diante das provas apresentadas pelo inquérito policial e expediu o mandado de prisão. Ele foi ouvido por cerca de duas horas e meia.
De acordo com uma fonte da Banda B ligada às investigações, o policial já sabia que um mandado de prisão preventiva tinha sido expedido contra ele. O soldado foi preso no Hospital Bom Retiro, local onde estava internado desde quinta-feira (9) retrasada. Um advogado do policial acompanhou o depoimento dele à policia, que se reservou em permanecer calado.

Por volta da 13h30, o policial saiu da delegacia acompanhado por outros policiais e, com uma viatura do 22º BPM, foi encaminhado para exames, segundo informações preliminares. De lá, a polícia não informa, por enquanto, em qual batalhão o soldado deve cumprir o mandado de prisão.
Andriele segue desparecida desde o dia 8 de maio e as investigações apontam que o soldado é o principal suspeito pelo sumiço da jovem. Parte do inquérito relata marcas de sangue no banco traseiro do carro do policial, um Fiat Marea, apreendido pela polícia. Imagens de câmeras de segurança também foram anexadas ao caso.
A família da jovem alega que Diogo não aceitava o fim do casamento e ameaçava a jovem. A estudante, moradora de Colombo, trabalha em uma loja de roupas durante o dia e faz faculdade em Curitiba à noite. O paradeiro dela ainda é desconhecido pela polícia.
Nota
Para a imprensa, a assessoria da PMPR divulgou uma nota oficial confirmando a prisão e o afastamento dele das atividades como policial militar. “O Batalhão informa ainda que as suspeitas em relação a ele surgiram somente após o internamento. Agora o policial está à disposição da Polícia Judiciária e da Justiça e ficará preso em uma unidade da Polícia Militar, conforme é previsto. O processo sobre o caso é de responsabilidade da Polícia Civil, que continua com as investigações”, diz parte da nota.

FONTE: Banda B

Nenhum comentário:

Postar um comentário