11 abril 2018

Servidores de Campo Mourão fazem manifesto em frente à prefeitura por reajuste salarial

Cerca de 300 servidores públicos municipais fizeram na tarde desta quarta-feira (11), um manifesto em frente à prefeitura de Campo Murão, na área central da cidade. A categoria reivindica o reajuste salarial de 7%, entre outros itens da pauta de negociação. A última proposta da prefeitura de reposição salarial foi de 2,48%, recusada pela classe. A data-base dos funcionários venceu em março. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Campo Mourão (Sindiscam), Dione Clei Valério, uma nova proposta deve ser entregue pela administração na tarde desta quarta-feira (14) e será levada a assembleia do sindicato ainda hoje para deliberação. “Vamos fazer a leitura da proposta e decidir o que será feito de agora em diante”, falou o presidente. 

Valério ressaltou que o Sindicato está desde o início do ano buscando o diálogo com a administração sobre a data-base da categoria e tentando evitar ao “máximo” que os servidores decidam pela greve. “O problema é que estamos conversando só com papel, mandam um documento aqui, outro ali e assim está sendo. Mas hoje falamos com o prefeito e queremos que algo de melhor venha”, espera. 

presidente acrescentou que os servidores são cientes das dificuldades do município, no entanto, cobra a “falta de vontade” da administração em negociar.

Estado de greve 

Desde a assembleia do último sábado, os servidores públicos de Campo Mourão estão em estado de greve. Além da reposição salarial, a categoria cobra da administração a elaboração de um projeto de lei para a recuperação financeira da Previdência Municipal dos servidores; tabela única e plano de carreira do Magistério; plano de cargos e salários para os servidores celetistas; adicional periculosidade para vigias e eletricistas; adicional aos agentes de saúde e endemias; ampliação na política de segurança e medicina do trabalho dos servidores; e um planejamento para o plano de cargos e salários que poderá ser cumprido em 2019, 2020 e 2021 (conforme Plano Plurianual de Aplicação). 

Nota pública 

Na tarde dessa terça-feira (10), a assessoria de comunicação da prefeitura divulgou uma nota pública, em resposta ao Sindiscam, assinada pelo procurador geral, Robervani Pierin do Prado e o secretário da Fazenda, Carlos Alberto Lopes Pequito, informando que a oferta do município (reposição de 2,48%) já estava no limite. Ainda conforme o documento, como não havia mais margem para elevar a proposta, o projeto seria já encaminhado à Câmara de Vereadores para votação. 

FONTE: Walter Pereira - Tribuna do Interior

Nenhum comentário:

Postar um comentário